sexta-feira, 22 de julho de 2011

Eta Coceira !

árvoreUm pobre coitado se encosta na árvore que fica em frente a casa da dona Jandira e fica esfregando as costas para se coçar, feito um porco. A velha vê aquilo e diz:

- Que é qui cê tem pra se esfregá desse jeito aí na árvre ?

-Acho qui quando tirei uma pestana ali perto do galinheiro, peguei piolho ! to qui num guento de tanta coceira sô!

- Intão vem cá tomá um banho, qui dispois vô arrumá procê umas roupas qui eram do falecido ! E essa coceira desgramada vai acabá, sim senhor !

O sujeito fez o que a velha mandou e saiu dali todo prosa, dentro duma roupa invocada que a velha lhe deu. Quando contou a história pro Lalau e pro Leo, os dois malandros resolveram fazer a mesma coisa.

Foram até a árvore em frente a casa da dona Jandira e ficaram esfregando as costas sem parar. Mas a velha esbravejou:

-Fora daqui, seus desgraçados ! Parem com isso, senão pego a cartucheira e mando chumbo !

-E porque a senhora tratô diferente o outro qui tava se coçando aqui ? Deu inté umas roupa....

-Acontece qui ele era sozinho e num podia coçá as costa ! Mais ocês são dois e um pode coçá o outro, seus forgado !

quinta-feira, 7 de julho de 2011

SIGNIFICADO DA PALAVRA ANFITRIÃO

Mitologia, Anfitriao, Zeus, Tebas, Hércules, Corno,  Cuidado  ,
Na mitologia grega, Anfitrião era marido de Alcmena, a mãe de Hércules.

Enquanto Anfitrião estava na guerra de Tebas, Zeus tomou a sua forma para deitar-se com Alcmena, e Hermes tomou a forma de seu escravo, Sósia, para montar guarda no portão.

Com a gravidez de Alcmena, uma grande confusão foi criada, pois evidentemente, Anfitrião duvidou da fidelidade da esposa.

No fim, tudo foi esclarecido por Zeus e Anfitrião ficou contente por ser marido de uma mulher escolhida do deus.

Daquela noite de amor nasceu o semideus Hércules. A partir daí, o termo anfitrião passou a ter o sentido de "aquele que recebe em casa". ( ó ceus !!)

Portanto, ANFITRIÃO é sinônimo de CORNO MANSO e FELIZ!

RESUMINDO:
QUANDO DISSEREM QUE VOCÊ É UM BOM ANFITRIÃO FIQUE DE ORELHA EM PÉ.

Cultura demais é uma droga!!!

domingo, 3 de julho de 2011

Conto indígena

Conto indígena , Indio, Cabrita, Cachorro,  Falar com Animais,  Homem,

Um dia, enquanto galopava, um Bom Homem encontrou um índio cavalgando.

Ao seu lado iam um cachorro e uma cabrita.

O Bom Homem começou então um diálogo com o índio:

- Olá, belo cão você tem aí. Importa-se se eu falar com ele?

Índio: - Cão não falar.

- Olá cão, com vai?

Cão: - Bem obrigado!

O índio FICA absolutamente chocado... E o Bom Homem continua...

- Esse cara é o seu dono?

Cão: - Sim!

- E como ele te trata?

Cão: - Muito bem. Todo dia ele me deixa correr livremente, me dá uma boa semana...

O índio FICA totalmente boquiaberto..

O Bom Homem então diz:

- Se importa se eu falar com seu cavalo?

Índio: - Cavalo não falar.

- Oi cavalo, como vai você?

Cavalo : - Muito bem!

- Esse aí é o seu dono?

Cavalo: - Sim...

Homem: - E como ele te trata?

Cavalo: - Muitíssimo bem. Cavalgamos regularmente, ele me escova sempre e me mantém sob uma árvore para me proteger da chuva e do Sol.

O índio FICA simplesmente abobalhado...

E o Bom Homem continua...

- Se importa se eu falar com sua cabrita?

Índio: - Cabrita muito mentirosa!!!