terça-feira, 21 de julho de 2015

Joãozinho atrasado

crocodiloJoãozinho chegou muito atrasado na escola, e a professora perguntou:

-O que aconteceu?

-Fui atacado por um crocodilo?

-Oh meu, Deus! E você se machucou?

-Machucar não, mas o trabalho de matemática ele comeu todinho...

terça-feira, 14 de julho de 2015

Falando....

dois amigosUm sujeito encontra um amigo e fala o tempo todo de si mesmo. Depois diz:

- Falei tanto tempo sobre mim, agora vamos falar de você. Que achou da moto que eu comprei ?


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Sabe qual a diferença entre politico e ladrão?



Millôr Fernandes, lançou um desafio através de uma pergunta:


- Qual a diferença entre o Político e o Ladrão?


Chamou muita atenção, a resposta enviada por um leitor :

- Caro Millôr.... após longa pesquisa cheguei a esta conclusão :

A diferença entre o Político e o Ladrão, é que:
 um eu escolho, o outro me escolhe ! 

Estou certo?...

Eis a réplica do Millôr :

- Puxa, meu amigo!..

Você é um gênio!..

Você foi o único que conseguiu achar uma diferença!.....

Lula encontrou seu irmão Gêmeo


Capitão Nascimento ficaria louco com uma tropa assim.


Fanho no Motel.



O fanho liga para a recepção do motel:

- Pode ver a minha conta?

- O que o Sr, consumiu?

- 3 cervejas, 2 águas e 2 fodas.

- Ah, esse último item o Sr. resolve aí mesmo com a moça...

- É FODA LIMONADA, FUA BESTA!!!

Como fazer um Xis completo.


Tudo na vida é relativo!



A executiva saiu do escritório, encontrou seu colega no ponto de ônibus e caía a maior chuva. Ela parou o carro e perguntou:

- Você quer uma carona?

- Claro.... respondeu ele, entrando no carro.

Chegando ao edifício onde ele morava, ela parou o carro para que ele saísse e ele a convidou para entrar no seu apartamento.

- Não quer tomar um cafezinho, um whisky, ou alguma coisa?

- Não, obrigada, tenho que ir para casa.

- Imagine, você foi tão gentil comigo, vamos entrar só um pouquinho.

Ela subiu, atendendo ao pedido do colega.

Ao chegarem no apartamento, ela tomava seu drink enquanto ele foi para o quarto e voltou todo gostoso e perfumado. Depois de alguns gorós, quem pode aguentar??

Ela caiu, literalmente na tentação.

Transou com o colega e acabou adormecendo. Por volta das 4:00 hs da manhã, ela acordou, olhou no relógio e levou o maior susto. Aí pensou um pouco e disse ao colega:

- Você me empresta um pedaço de giz?

Ele entregou-lhe o giz, ela pegou, colocou atrás da orelha e foi pra casa.

Lá chegando, encontrou o marido louco de raiva e foi logo contando...

- Amor, quando saí do trabalho dei carona para o meu colega, depois que chegamos no prédio onde ele mora, ele me convidou para subir e me ofereceu um drink, em seguida, ele foi para o banho e retornou com uma cueca transparente, muito linda e após vários goles acabamos indo para a cama e fizemos amor, aí dormi e acordei agora há pouco...

O marido deu um berro e falou:

- Sua mentirosa sem vergonha, estava no bar de novo jogando sinuca com aquele bando de vagabundas que você chama de amigas. Nem sabe mentir direito, até esqueceu o giz aí atrás da orelha....

Pois é, na vida, tudo é relativo:
Um fio de cabelo na cabeça é pouco, na sopa é muito!

Adivinha o que é isso?





Se a loja é assim, imagina como é a casa dele...

Judeu após suruba...



Um judeu foi à uma suruba. Transou com várias mulheres, de todas as maneiras. No troca-troca, se misturou com alguns homens e acabou penetrado por um deles.

No dia seguinte, começa a ter agudos e constantes remorsos do bacanal e vai até a Sinagoga para se confessar com o rabino e assim obter o perdão. Começa a explicar sua noite de orgia

- Tomei álcool, tive sexo com mulheres e ao final fui possuído por um homem.

O rabino diz que é extremamente grave e que se quer ser perdoado deve voltar no dia seguinte com R$ 15.000,00 para a sinagoga. Sai feliz por ter achado a solução, mas bem incomodado com o monte de grana que terá que doar.

Em seu caminho, passa por uma Igreja Católica. Reflete que apesar de não ser católico, talvez possa obter uma absolvição mais em conta... Entra e fala com o padre:

- Noite de suruba...bebidas... fiz sexo com várias mulheres e fui enrabado por um cara.

O padre diz que não se preocupe, que isso acontece, e que mesmo não sendo católico pode ter o perdão de Deus, e que deve doar R$ 8.500,00.

O judeu sai mais aliviado por ter conseguido um desconto no preço do pecado. Mesmo assim, é muita grana.

Caminha mais um pouco e passa na frente de uma de uma Mesquita e, claro, fica tentado em ver quanto que eles cobrariam. Entra na mesquita, procura o Iman e conta-lhe que apesar de não ser muçulmano, está ali na mesquita porque teve uma noite de orgia... bebeu muito, transou com várias mulheres e acabou enrabado...

O Iman o escuta atentamente e lhe diz que para obter o perdão volte no dia seguinte com refrigerantes, salgadinhos, biscoitos, bolos, doces e outras guloseimas. O judeu se surpreende e se alegra por ter que cumprir sua penitência por tão pouco e então pergunta ao Iman:

- É tudo que tenho que fazer? O senhor tem certeza de que o que está me pedindo é tudo?

O Iman responde:

- Absolutamente! É isso mesmo! Com a gente é assim:

- Cada vez que um judeu toma no cu, nós festejamos!

Somente comparando. Vai entender o Brasil



- Se atravessares a fronteira da Coreia do Norte ilegalmente, és condenado a 12 anos de trabalhos forçados.

- Se atravessares a fronteira iraniana ilegalmente, és detido sem limite de prazo.

- Se atravessares a fronteira afegã ilegalmente, és alvejado.

- Se atravessares a fronteira da Arábia Saudita ilegalmente, serás preso.

- Se atravessares a fronteira chinesa ilegalmente, nunca mais ninguém ouvirá falar de ti.

- Se atravessares a fronteira venezuelana, serás considerado um espião e o teu destino está traçado.

- Se atravessares a fronteira cubana ilegalmente, serás atirado para dentro de um navio para os E.U.A. 

- Se atravessares a fronteira americana ilegalmente serás preso e deportado.

Mas, SE entrares por alguma fronteira do BRASIL ilegalmente...

TERÁS:

- Facilidade de acesso...

- Um abrigo...

- Um trabalho...

- Carta de Motorista...

- Cartão Cidadão (INSS) de Saúde...

- Segurança Social...

- Crédito Familiar...

- Cartões de Crédito...

- Renda de casa subsidiada CDHU ou empréstimo bancário para a sua compra...

- Escolaridade gratuita...

- Serviço Nacional de Saúde gratuito...

- Se fores de esquerda, chance de um emprego no governo federal...

- Um representante no Parlamento...

- Podes votar, e mesmo concorrer a um cargo público...

- Ou mesmo fundares o teu próprio partido político!

E por último, mas não menos importante:

- Podes manifestar-te nas ruas e até queimar a nossa bandeira! 

E... SE EU QUISER IMPEDIR, SEREI CONSIDERADO POLITICAMENTE INCORRETO!

SEM DÚVIDA QUE PARECE IRREAL, MAS É A MAIS PURA DAS VERDADES!


Vai entender os terroristas



Os muçulmanos não estão  felizes:

Eles não  estão felizes em Gaza.
Eles não  estão felizes na Cisjordânia.
Eles não  estão felizes em Jerusalém ...
Eles não  estão felizes em Israel.
Eles não  estão felizes no Egito.
Eles não  estão felizes na Líbia.
Eles não  estão felizes na Argélia.
Eles não  estão felizes em Tunis
Eles não  estão felizes em Marrocos.
Eles não  estão felizes no Iêmen.
Eles não  estão felizes no Iraque.
Eles não  estão felizes no Afeganistão.
Eles não  estão felizes na Síria.
Eles não  estão felizes no Líbano.
Eles não  estão felizes no Sudão.
Eles não  estão felizes na Jordânia ...
Eles não  estão felizes no  Irã.

Onde os muçulmanos estão felizes?

Eles estão  felizes na Inglaterra.
Eles estão  felizes  na França.
Eles estão  felizes na Itália.
Eles estão  felizes na Alemanha.
Eles estão  felizes na Suécia.
Eles estão  felizes na Holanda.
Eles estão  felizes na Dinamarca.
Eles estão  felizes na Bélgica.
Eles estão  felizes na Noruega.
Eles estão  felizes nos E.U.A.
Eles estão felizes no  Canadá.
Eles estão felizes na  Romênia.
Eles estão felizes na  Hungria.
Eles estão felizes na  Austrália.
Eles estão felizes na Nova  Zelândia.

Eles estão felizes em qualquer outro país  no mundo que não está sob um governo  muçulmano.

E quem eles  culpam?

· Não o  Islam.
· Não a liderança  deles.
· Não a si  mesmos.

Culpam os países onde estão vivendo  livremente e bem.

Isso é tão  verdadeiro ... A democracia é realmente boa para  eles: Em uma democracia que eles podem viver  confortavelmente, aproveitar a alta qualidade de vida que eles não  construíram e nem trabalharam para ter.

Podem manter seus costumes,  desobedecem às leis, exploram os serviços sociais, fazem paródias de nossa  política e de nossos tribunais.

Geralmente, mordem a mão que os  alimenta. A questão é contraditória, paradoxal !  Eles tentam trazer seu sistema de vida falido e querem transformar os países  que os acolheram no país que abandonaram em busca de uma vida melhor ...?

Dá  para entender?

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Você tem desculpa para não tomar banho? Ele não...


Psicólogo Sabe das Coisas (1 de 2)



Pai de adolescente andava angustiado com o comportamento do filho de 15 anos. Desde que notou que o filho falava com uma voz muito fina passou a observá-lo mais, e percebeu que ele também usava de trejeitos com as mãos e fazia movimentos com a cabeça ao se comunicar com as pessoas nem um pouco convenientes para um garoto da sua idade. 

Desconfiado, intrigado, e sem saber como lidar com aquele problema o pai passou a discutir o assunto com vários amigos interessado em descobrir, a partir da provável experiência de algum deles, um meio seguro de esclarecer as dúvidas que vinham lhe tirando o sono há algum tempo. 

Ouviu várias sugestões: “Por que você não senta com seu filho e conversa abertamente sobre o assunto com ele?” Disse alguém.

- Tenho o sangue muito quente e ando nervoso demais ultimamente, ele respondeu. Tenho medo de interpretar mal uma resposta qualquer e acabar agredindo o meu filho fisicamente. Seria um erro imperdoável. 

- Não quero agir apoiado apenas em minhas suposições. Se eu causar um trauma ou prejudicar a vida do meu garoto injustamente não vou me perdoar.

"Acho que a sua esposa seria a pessoa certa para conversar sobre esse assunto com o garoto e esclarecer as suas dúvidas", disse outro.

- Não creio que esta seja uma boa opção também. Minha esposa é muito lerda, sem iniciativa. E certamente que não vai me contar nada se por acaso descobrir alguma coisa.

Completamente perdido, totalmente inseguro e sem saber como agir aquele pai sofria sufocado com as suspeitas que o afligiam. Andava calado, desanimado, matutando sempre até que uma amiga lhe sugeriu que levasse o filho a um psicólogo.

- Mas é claro! Como não pensei nisso antes?!

No dia seguinte, ao entrar no escritório, a primeira coisa que ele fez, foi ligar para um psicólogo e marcar uma consulta. No dia marcado, ele mesmo se encarregou de levar o filho ao consultório. Depois de alguns minutos aguardando na sala de espera, ouviu chamarem pelo nome do filho. Não teve dúvidas, levantou-se, deixou o garoto sentado na recepção e entrou na sala do médico.

- Doutor, a consulta não é comigo, é para ser com o meu filho que eu deixei aguardando lá fora. Eu entrei primeiro porque faço questão de esclarecer o motivo de estarmos aqui hoje. Não é de agora que eu percebo que meu filho vem agindo de maneira muito estranha. O garoto fala fino demais pra idade dele, usa de muitos trejeitos com as mãos enquanto conversa, balança a cabeça... Enfim, estou desconfiado de que ele seja homossexual e não vou sossegar enquanto persistirem as minhas dúvidas. Não me sento pra conversar com ele porque ando muito estressado e sei que corro o risco de perder a paciência em algum momento. Tenho medo de agredi-lo e acabar por traumatizá-lo. Por isso, doutor, trouxe-o aqui, conto com a sua ajuda, e rezo para que eu esteja completamente enganado.

Continua...

Psicólogo Sabe das Coisas (2 de 2)


- Tudo bem, disse o médico, o senhor fez a coisa certa procurando a ajuda de um profissional. Mande-o entrar. Eu me encarrego de conversar com ele.

- Mas antes, doutor, eu quero saber: Como é que o senhor pretende agir para esclarecer as minhas dúvidas?

- Farei ao seu filho quatro perguntas, somente. Dependendo das respostas dele, posso confirmar ou negar as suas suspeitas.

- Mas como assim, doutor, que perguntas serão essas, não pode me adiantar? Não quero traumatizar meu filho, lembre-se.

- Meu Senhor, relaxe! Aguarde na recepção e mande o garoto entrar. Eu cuido do resto. É a minha profissão.

Sai o pai e entra o filho na sala do médico.

O psicólogo ajuda o garoto a se deitar confortavelmente no divã e em seguida esclarece o que pretende dele:

- Filho, eu vou fazer-lhe quatro perguntinhas apenas e gostaria que você me respondesse a verdade. Sem pressa, com calma, mas a verdade. Tudo bem?

Com a aprovação do garoto, o psicólogo sentou-se ao lado do divã; segurando papel e caneta deu início aos trabalhos.

- Vamos então à primeira perguntinha, disse o psicólogo. Na matemática, qual o número que você mais admira?

- Na matemática! Bem, não sei,... O número onze, eu acho.
O adolescente respondeu cheio de incerteza.

- Número onze. Perfeito! disse o médico enquanto escrevia. Vamos à segunda perguntinha agora, ele continuou. Na natureza, qual o animal que você mais gosta ou que você simpatiza mais?

- Na natureza, um animal, um a-ni-mal. Ah!... O jacaré. Respondeu, mas sem a menor convicção.

- Muito bem, jacaré. Vamos à terceira pergunta, disse o médico, que continuava escrevendo enquanto falava. Nas suas refeições, qual a hortaliça que, quando tem na mesa, você mais gosta de comer e faz questão de ter sempre no seu prato?

- Caramba! Agora o senhor me pegou mesmo! Exclamou, muito confuso, o adolescente. Hortaliça, hortaliça... chuchu; é, eu gosto de chuchu.

- Chu-chu. O psicólogo repetiu a palavra com satisfação fazendo questão de separar uma sílaba da outra. Muito bem, filho, vamos à quarta e última perguntinha: O que você quer ser quando crescer? Ou melhor, qual a profissão que você deseja exercer quando tiver que trabalhar?

- Ah doutor, quando eu crescer quero ser advogado, respondeu com determinação.

- Ótimo, disse o psicólogo, com evidente satisfação. Tá terminada a consulta, filho. Espere na recepção e diga ao seu pai que ele pode entrar.

O pai, muito tenso e suando bastante, entrou no consultório ansioso em ouvir o que o médico tinha pra lhe dizer.

- Fala doutor, qual o resultado de tudo isso?

- Eu lamento muito, meu amigo, mas estão confirmadas todas as suas suspeitas.

- Como assim, doutor, me explica.

- Peço que o senhor se sente, por favor. No início, eu lhe antecipei, que faria apenas quatro perguntas ao seu filho e de acordo com as respostas dele eu esclareceria as suas dúvidas, certo?

- Sim, foi isso exatamente o que o senhor falou.

- Pois muito bem, minha primeira curiosidade era saber qual o número, na matemática, que o seu filho mais admira. E ele respondeu que é o número onze. Eu pergunto: O que é o número onze? O número onze nada mais é do que: Um, atrás do outro, certo? Enquanto falava o psicólogo roçava um no outro os dois dedos indicadores das mãos convencido de que aquele gesto ajudava ao pai entender o que ele "explicava". Temos aí a primeira confirmação. 

Depois eu perguntei com qual animal na natureza ele mais simpatiza, e ele respondeu que é com o jacaré. De novo eu pergunto: O jacaré se defende como? COM O RABO, não é verdade? Taí a segunda confirmação. 

A terceira curiosidade era saber qual a hortaliça que ele mais gosta de comer. Sabe o que foi que ele respondeu? CHUCHU. O senhor, com certeza, conhece o ditado: "Dá mais do que chuchu na serra". Temos com essa resposta a terceira confirmação. 

E pra finalizar, amigo, eu perguntei ao seu filho que profissão ele quer exercer quando tiver que trabalhar. E ele respondeu: ADVOGADO. Ora, todo mundo sabe que advogado entra em qualquer Vara, sendo assim...

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Estágios da vida de cada um.



Geografia da Mulher: 

Entre 18 e 25 anos, a mulher é como o CONTINENTE AFRICANO:uma metade já foi descoberta e a outra metade esconde a beleza ainda selvagem e deltas férteis.

Entre 26 e 35 anos, a mulher é como a América do Norte: moderna, desenvolvida, civilizada e aberta a negociações.

Entre 36 e 40, é como a ÍNDIA:  Muuuiiiittooo Quente, Segura e consciente da sua própria beleza.

Entre 41 e 50, a mulher é como a França: suavemente envelhecida, mas ainda desejável de se visitar...

Entre 51 e 60, é como a IUGOSLÁVIA:perdeu a guerra, é atormentada por fantasmas do passado, mas empenha-se na reconstrução.

Entre 61 e 70, ela é como a Russia: espaçosa, com fronteiras sem patrulha. A camada de neve oculta grandes tesouros.

Entre 71 e 80, a mulher é como a Mongólia: com um passado glorioso de conquistas, mas com poucas esperanças no futuro.

Depois dos 81, ela é como o AFEGANISTÃO: quase todos sabem onde está, mas ninguém quer ir até lá.

Geografia do Homem:

Entre os 15 e os 80 anos, o Homem é como CUBA: Governado por um só Membro...

A formiga nervosa!!



Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas. 

Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno.

Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha gelada. 

Seu nome era 'Trabalho', e seu sobrenome era 'Sempre'. 

Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou nem um minuto sequer. 

Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu pra valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir. 

Então, passados alguns dias, começou a esfriar. 

Era o inverno que estava começando. 

A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca, repleta de comida. 

Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca. 

Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu. 

Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante casaco de vison. 

E a cigarra disse para a formiguinha: 

- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris. 

- Será que você poderia cuidar da minha toca? 

- E a formiguinha respondeu: 

- Claro, sem problemas!

- Mas o que lhe aconteceu? 

- Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari? 

E a cigarra respondeu: 

Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. 

Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris... À propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá? 

Desejo sim, respondeu a formiguinha. 

Se você encontrar o La Fontaine (Autor da Fábula Original) por lá, manda ele ir para a 'Puta Que O Pariu!!!' 

Moral da História: 

Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine. 

Trabalhe, mas curta a sua vida. Ela é única!!!

Se você não encontrar a sua metade da laranja, não desanime, procure sua metade do limão, peça tequila e sal.

Vento "Amigo".

















Grandes Sugestões de Lazer